"Seis chaves para ser feliz, segundo especialista de Harvard"

Lendo o artigo sobre "ser feliz" segundo Tal Ben-Shahar, prof. doutor de Harvard (que transcrevo no final algumas partes "resumidas) complemento aqui com algumas considerações que aprendi através da prática e estudos realizados, dentre eles a Programação Neurolinguística (PNL) que também aborda aspectos da psicologia positiva e a psicanálise com Freud: princípio do prazer x princípio de realidade. Além de ser uma prática na minha vida e no atendimento às pessoas, posso acrescentar mais um pouquinho a cada item: 1) Fracasso pode parecer algo ruim, eu prefiro dizer que o resultado não foi positivo ou de acordo com o esperado, com a expectativa. Sentir-se fracassado é não olhar todo o percurso realizado, todo os esforços, os aprendizados, as entregas 2) a gratidão deve estar presente no nosso dia a dia, cada vez que agradecemos as mínimas coisas que estão presentes em nossas vidas, sentimos a abundância dos momentos mais simples e percebemos que estar feliz pode ser algo sentido em vários momentos. 3) Atividade física é importante para a saúde física e mental. Ajuda a ter foco e disciplina. 4) Simplifique, ou seja, nano enrole e tenha foco, é a melhor maneira de treinar "estar presente" e estar presente no que se está fazendo acalma a mente, é a base da meditação. Sua concentração está apenas naquilo, no agora, sem milhões de interferências que permitimos no dia a dia. 5) Meditar é mais fácil do que se imagina, como comecei a falar no item acima, é estar presente em algo, no agora, pode ser na sua respiração, no corpo, ou alguma atividade que tome 100% de sua atenção. 6) Ser resiliente é ser flexível como o bambu que balança de lá pra cá numa tempestade mas que volta ao seu lugar. Para ser flexível necessitamos relativizar bastante, olhar as situações por diversos ângulos, se colocar no lugar do outro, treinar nossa mente para que possamos filtrar o positivo do negativo, dando o lugar a cada coisa.

"Seis chaves para ser feliz, segundo especialista de Harvard"

Ser feliz se tornou o objetivo mais cobiçado da atualidade, superando de longe o de ficar milionário ou encontrar a fonte da juventude! Um conceito abstrato, subjetivo e difícil de definir, mas que está na boca de todos. Tal Ben-Shahar, especialista em psicologia Positiva, ministra vários cursos e ajuda muitos alunos com seus conceitos de que a “alegria pode ser aprendida”, a “ciência da felicidade “, “aceitar a vida como ela é”e que “não é preciso ser perfeito para levar uma vida mais rica e mais feliz”...

É precisamente a expectativa de sermos perfeitamente felizes que nos faz ser menos felizes” Existem seis pontos importantes a serem seguidos: 1) "Perdoe seus fracassos. E mais: festeje-os! " é impossível tentar viver sem emoções negativas, fazem parte de nós. naturais Identificando a emoção negativa que está sentindo e aceitando-as fica mais fácil de deixa-la ir embora. Temos que nos dar o direito de ser humanos e perdoar nossas fraquezas. Outra coisa, os baixos níveis de perdão estão relacionados à presença de transtornos como depressão, ansiedade e baixa autoestima. 2) "Não veja as coisas boas como garantidas, mas seja grato por elas." Coisas grandes ou pequenas. “Essa mania que temos de achar que as coisas são garantidas e sempre estarão aqui têm pouco de realista.” 3) "Pratique esporte. " Para que isso funcione, não é preciso malhar numa academia até se cansar ou correr 10 quilômetros por dia. Basta praticar um exercício suave, como caminhar em passo rápido por 30 minutos diários, para que o cérebro secrete substâncias que nos fazem sentir-nos “drogados” de felicidade. 4) "Simplifique, no lazer e no trabalho." “Precisamos identificar o que é verdadeiramente importante e nos concentrar sobre isso. Já se sabe que quem tenta fazer demais acaba conseguindo realizar pouco, e por isso o melhor é se concentrar em algo e não tentar fazer tudo ao mesmo tempo. O conselho não se aplica apenas ao trabalho, mas também à área pessoal e ao tempo de lazer: “É melhor desligar o telefone e se desligar do trabalho nessas duas ou três horas que você passa com a família”. 5) "Aprenda a meditar." Esse hábito combate o estresse, ajuda as pessoas a enfrentar melhor as armadilhas da vida, superar as crises com mais força interior e ser mais elas mesmas baixo qualquer circunstância, lhe trará um grato momento de paz. 6) Treine uma nova habilidade: a resiliência. A felicidade depende de nosso estado mental, não de nossa conta corrente. Concretamente, “nosso nível de felicidade vai determinar aquilo ao qual nos apegamos e a força do sucesso ou do fracasso. as pessoas depressivos atribuem seus fracassos a eles próprios e o sucesso a situações externas à sua pessoa, enquanto as pessoas positivas tendem a pendurar-se medalhas no peito, atribuindo os problemas a outros. Mas assim perdemos a percepção do fracasso como “oportunidade”, algo que está muito relacionado à resiliência, conceito emprestado da física e engenharia, que descreve a capacidade de um material de recuperar sua forma original depois de submetido a uma pressão deformadora. “Nas pessoas, a resiliência expressa a capacidade de um indivíduo de enfrentar circunstâncias adversas, condições de vida difíceis e situações potencialmente traumáticas, e recuperar-se, saindo delas fortalecido e com mais recursos.

(Patricia Peiró Jiménez – brasil.elpais.com- jun/2015)

22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo