"SOU ONDE NÃO PENSO (Inconsciente). PENSO ONDE NÃO SOU (Consciente)"

"A psicanálise... ao invés de pautar-se no histericismo midiático, buscando uma causalidade linear e que não ultrapasse o tempo presente, deve inserir-se numa causalidade múltipla, sempre com referência ao passado remoto do sujeito. Ao invés do pretenso cientificismo de uma psiquiatria rotuladora e pobremente descritiva (que ao menos a antiga escola fenomenológica não era), Freud legou a importância de se tentar entender nos abismos da psyché todos os matizes da natureza humana." Pensando sobre o “Massacre de Realengo” ocorrido em 7 de abril de 2011, na Escola Municipal Tasso da Silveira, localizada no bairro de Realengo, na cidade do Rio de Janeiro, onde Wellington Menezes de Oliveira, de 23 anos, havia estudado dez anos antes, matou várias crianças, na maioria meninas, dizendo que iria apresentar uma palestra. Diagnóstico: esquizofrenia paranoide.

"SOU ONDE NÃO PENSO ( Inconsciente ). PENSO ONDE NÃO SOU (Consciente)"

Pois bem começo com esse título de pura reflexão num momento em que as ações do homem não são de sua total consciência. Como já dizia Freud " Não somos donos de nossa própria casa". Onde o gênio fazia uma alusão a nossa incapacidade de controlar os impulsos instituais que nos acomete a todo tempo. Sou onde não penso nada mais é que a nossa real identidade que está lá no fundo de nosso inconsciente, enquanto que ao pensar onde não sou nada mais é que a nossa consciência reflexiva que nos permite interagir com o meio que nos cerca. Trago esse tema para aludir os últimos acontecimentos com relação a dita chacina em uma escola pública no Rio de Janeiro. Dita porque na verdade o ser onde não pensa do assassino das crianças não estava chacinando elas! Estava sim matando os fantasmas do passado que o assombravam há muitos anos provavelmente, sem que ninguém da família percebesse, e se percebeu não ligou. Aliás, o que mais se faz dentro de um contexto familiar é não ligar, por isso é que as coisas estão como estão. Esse sujeito que pensava onde não era, na verdade não tinha a menor ideia de que ele nada era ou foi na vida, isso fica bem esclarecido quando nas investigações policiais onde entre diversos fatores, foi descoberto que o sujeito sofreu bullyng na mesma escola em que aconteceram as mortes. Por trás de toda essa psicose nem os valores divinos puderam segurar o ser onde não pensa, muito pelo contrário foi em nome desses valores que ele pensou onde não era para executar seus atos psicóticos. Fica aqui uma a frase de dois pensadores para uma reflexão. René Descartes dizia que: se penso, logo existo. Porém 300 anos depois chega Freud e diz: Se sinto, logo sou. Ou seja não adianta só pensar, antes de tudo temos que saber o que sentimos para descobrirmos o que somos. Se é que isso é possível!

(Luiz Fernando R. Alves/www.ifpsicanalise.blogspot.com.br/2011)

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo